Login

Fechar

Esqueceu a senha?

Fechar

09 MARÇO 2018 00:00 Cultura
  • Compartilhe

Conheça 7 projetos capixabas focados no empoderamento feminino

De acordo com Djamila Ribeiro, empoderamento feminino é “empoderar a si e aos outros e colocar as mulheres como sujeitos ativos de mudança”. Confira nossa lista!

Por: Isabella Mariano

agenciabr
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Como bem definiu Djamila Ribeiro, empoderamento feminino significa “empoderar a si e aos outros e colocar as mulheres como sujeitos ativos de mudança”. Para tanto, é preciso entender qual é a realidade que precisa ser mudada e, em seguida, arregaçar as mangas em busca de uma transformação profunda. Pensando nisso, neste mês das mulheres, o Sou ES preparou uma lista com alguns projetos capixabas que focam exatamente no empoderamento feminino.

E para entender o motivo e a importância de tratarmos desse assunto, basta olhar a realidade das mulheres brasileiras. Dos 4.762 assassinatos de mulheres registrados em 2013 no Brasil, 50,3% foram cometidos por familiares, sendo que em 33,2% destes casos, o crime foi praticado pelo parceiro ou ex. É o que revela o Mapa da Violência 2015. Essas quase 5 mil mortes representam um dado gravíssimo: foram 13 feminicídios diários em 2013.

ebc
O fim da violência contra a mulher ainda é uma pauta urgente para as mulheres | Foto: Agência Brasil

E as denúncias de violência doméstica não param de crescer, infelizmente. A pesquisa DataSenado sobre a violência doméstica e familiar contra as mulheres no Brasil, divulgada em junho do ano passado, mostrou um aumento no número de mulheres que declaram ter sofrido algum tipo de violência doméstica: o percentual passou de 18%, em 2015, para 29%, em 2017.

Além disso, ainda hoje, apesar de tantas mudanças conquistadas, as mulheres brasileiras continuam ganhando menos e consomem mais tempo do que os homens com os cuidados da casa e de familiares. É o que atesta o estudo Estatísticas de Gênero: Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil, divulgado nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

agenciabr
Ainda hoje, as mulheres enfrentam disparidades no mercado de trabalho | Foto: Agência Brasil

O estudo mostrou que, em relação ao rendimento habitual médio mensal de todos os trabalhos e razão de rendimentos, por sexo, entre 2012 e 2016, as mulheres ganham, em média, 75% do que os homens ganham. Isso significa que as mulheres têm rendimento habitual médio mensal de todos os trabalhos no valor de R$ 1.764, enquanto os homens, R$ 2.306.

Esses são apenas alguns dos dados que mostram que a realidade da mulher brasileira não é das melhores e coloca o país entre os 60 piores do mundo para mulheres. O Brasil é ainda o pior país da América Latina em termos de oportunidades para o desenvolvimento de meninas, de acordo com uma pesquisa realizada pela ONG Save the Children em 2016. Por isso, é muito importante valorizarmos iniciativas que promovam o empoderamento e a felicidade das meninas e mulheres do nosso país.

Confira abaixo 7 projetos capixabas que focam no empoderamento feminino:

Das Pretas.Org
Fundado em 2015, o Instituto Das Pretas.Org é a primeira organização de economia mista criativa afrocentrada de protagonismo feminino do país. Em 2016, sua sede, localizada no Centro de Vitória, foi inaugurada e sus ações já atingiram, direta e indiretamente, mais de 2 mil mulheres. Com atividades focadas no empreendedorismo e consumo negro, estética e autoestima, cultura e educação, o Das Pretas.Org realiza seu trabalho de forma autônoma e independente.

Saiba mais: www.daspretas.org

Séries por Elas
Há cerca de dois anos, a baiana-capixaba Carolina Maria idealizou o site Séries por Elas e, apesar de hoje se colocar como um portal de notícias nacional, sua elaboração foi toda realizada no Espírito Santo. O site nasceu da carência de conteúdos sobre séries produzidos por e para mulheres. Portanto, a equipe do SPE é totalmente formada por mulheres e o site publica diariamente notícias, resenhas, matérias, listas e todo o tipo de conteúdo a partir da perspectiva feminina, voltado para o público em geral.

Saiba mais: seriesporelas.com.br

Fórum de Mulheres
Criado em 1992, o Fórum de Mulheres do Espírito Santo é uma organização feminista que mobiliza mulheres e movimentos de mulheres para a formação política, para a auto-organização das mulheres, para a luta pela autonomia e liberdade em diversas esferas da vida. Sua atuação é essencial para lidar com as mulheres do campo e com as mulheres vítimas de violência. Além disso, o fórum organiza anualmente marchas e ações culturais que incentivem a libertação feminina.

Saiba mais: www.facebook.com/forumdemulheres.es

Ocupa Corpos
Realizado pela fotógrafa Thais Carletti, o Ocupa Corpos é um projeto de nu feminino que tem o objetivo de fazer uma reflexão sobre a nudez. Sua proposta é uma forma de contribuir para libertar o corpo da mulher da objetificação e da erotização, questionando ainda os padrões estéticos impostos às mulheres. Atualmente, seu trabalho segue em exposição no restaurante La Dolina, em Vitória, onde permanecerá durante todo o mês de março.

Saiba mais: www.instagram.com/ocupa.corpos

Leia Mulheres ES
O Leia Mulheres é um projeto nacional que nasceu de uma reivindicação internacional, proposta pela escritora Joanna Walsh que levantou a bandeira #readwomen2014 (#leiamulheres2014). Basicamente, a proposta consiste em incentivar a leitura de escritoras. Isso porque o mercado editorial ainda é muito restrito e as mulheres não possuem tanta visibilidade. Em 2015, Juliana Gomes convidou as amigas Juliana Leuenroth e Michelle Henriques para transformarem a ideia de Joanna Walsh em algo presencial em livrarias e espaços culturais. Desde 2016, o Espírito Santo também conta com um clube de leitura do Leia Mulheres. A partir da mediação de Taiga Scaramussa, os encontros acontecem uma vez por mês no Centro Cultural Sesc Glória, em Vitória.

Saiba mais: www.facebook.com/groups/1339921609358864

Projeto Elisas
Elaborada e pensada pelo Boas de Prosa, Elisas é uma oficina literária para meninas que possui o objetivo final de contribuir para a formação de jovens e adolescentes que desejam conhecer mais sobre literatura, mercado editorial e escrita literária, com foco no estímulo de suas criatividades e identidades. Sua primeira edição aconteceu em 2017, resultando na publicação de uma coletânea com textos das alunas e professoras, intitulado “Elas em Órbita”. O projeto já está confirmado para acontecer novamente em 2018. O nome Elisa foi escolhido para intitular o projeto como uma referência à escritora, atriz e cantora Elisa Lucinda, nascida na cidade de Cariacica, no Espírito Santo; que em seus textos frequentemente expõe vivências e traços da identidade da mulher negra brasileira.

Saiba mais: www.facebook.com/boasdeprosa

BatuQdellas
Formado em janeiro de 2018, o Coletivo BatuQdellas é formado apenas por mulheres em todos os segmentos, desde a produção até a linha de frente de bateria. O projeto foi criado com o objetivo de resistir aos diversos tipos de preconceitos e machismos enfrentados diariamente no cenário musical. Dessa forma, o coletivo tem como proposta ocupar cada vez mais espaços, enaltecendo o feminismo e contribuindo de forma cultural, artística e resistente para a libertação das mulheres.

Saiba mais: www.facebook.com/BatuQdellas

EXTRA: Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180
A Central de Atendimento à Mulher, também chamada de Ligue 180, é uma política nacional, criada em 2005 pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). Porém, sua importância é essencial para a vida das mulheres e, por isso, merece entrar nessa lista. As mulheres que desejam denunciar algum abuso sofrido ou presenciado podem e devem entrar em contato com a Central. A ligação é gratuita e pode ser feita por qualquer telefone - móvel ou fixo, particular ou público. A ferramenta funciona 24 horas por dia, até mesmo nos feriados. Denuncie!

Saiba mais: www.spm.gov.br/ligue-180 

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Comentar

* = Preenchimento obrigatório